quinta-feira, 30 de julho de 2009

Livro: O exílio das Palavras - Lívia Petry



Criação

Deus fez o universo
Das palavras,
E exortou o silêncio
Para confundir os homens.
Criou então todas as cores,
As luzes,
Os matizes.
E a escuridão
Para calar o pensamento.
Do barro surgiu o sábio,
O mequetrefe,
O esperto,
O tolo.
Desta terra
E desta água
Vieram teus olhos,
Tua boca,
Teus dedos.
E esse perfume de almíscar
Que se evola de teus ares.
Foi sob este chão
Que encontrei o Segredo.
Este, que nem a ti revelo.
Este, que rola sobre a página
Num suave delírio...
(Poema do livro: “O exílio das palavras”, Lívia Petry)

4 comentários:

Bruno R.Ramos disse...

Bela descrição da gênese literária, Lívia.
Um poema de grande beleza e sinestesia. Aqui, o trabalho com os sentidos, a visão ("Criou então todas as cores,as luzes,os matizes"), o olfato ("esse perfume de almíscar")... Um poema em que mergulhamos numa nova instância do sentir e surgir de cada palavra, cada poema... Uma bela análise da produção literária construída no versar poético.
Viajei no poema, Petry.
Abraços

Bruno Resende Ramos

Z.A. Feitosa disse...

Obrigado pelo convite e, sobretudo, por compartilhar comigo a beleza de sua poesía.
Que os Orixás de minha fé bendigam você. Força e luz!
Z.A. Feitosa (www.feitosa.net)

Márcia disse...

Lindo Lívia! Já fiquei com vontade de ler o livro todo...rsss

Tiane Quadros disse...

Adorei o poema, Lívia!

Postar um comentário

Comentários pertinentes e criativos sempre incentivam e proporcionam a evolução.